Mostrando postagens com marcador Mentiras. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mentiras. Mostrar todas as postagens

14 abril, 2016

10 abril, 2016

"Eu sempre pensei que uma mulher parece mais bonita quando ela penteia o cabelo com os dedos e deixa seu cabelo secar naturalmente"

LA VICTORIA, Venezuela - O aguerrido Presidente Nicolas Maduro deu aos funcionários da administração pública [ mais de 1 milhão ] as sextas-feiras livres [ folga ] no país pelos próximos dois meses em uma tentativa de reduzir o consumo de energia elétrica no país, rico em petróleo, mas a beira de um colapso da rede elétrica.
Presidente Nicolas Maduro - Guerra Fria

Maduro também pediu que seus cidadãos que reduzissem o consumo de energia, a maior da América Latina, em uma tentativa de lidar com a crise crescente que tem perturbado a vida sócio-econômica por semanas.

Se todas as propostas do governo forem implementados, o consumo de energia pode cair em até 20%, disse Maduro.

"Eu quero evitar o doloroso racionamento", disse Maduro durante um discurso transmitido pela televisão nacional.

A Venezuela, que tem 70% de sua eletricidade de usinas hidrelétricas, está enfrentando uma crise elétrica, parcialmente causada ​​pelo fenômeno meteorológico El Niño.

A seca resultante reduziu os níveis de água nas usinas hidrelétricas do país. Maduro, que está enfrentando os pedidos para que ele se demita, também culpa a crise falando em sabotagem por seus adversários, bem como os padrões de vida mais elevados, como resultado da revolução socialista do seu governo. Maduro disse que esperava que todos os venezuelanos cooperem. Ele destacou as mulheres uma menção especial, dizendo que eles devem tentar usar menos os seus secadores de cabelo.

"Eu sempre pensei que uma mulher parece mais bonita quando ela penteia o cabelo com os dedos e deixa seu cabelo secar naturalmente", disse ele.

A oposição da Venezuela ridiculariza a proposta de economia de energia através da criação de fins de semana de três dias, dizendo que iria prejudicar ainda mais a economia do país, que já está sofrendo com a escassez em massa e inflação esperada de 700% este ano.





06 abril, 2016

Mais propaganda enganosa...

Impeachment já!!!

Até Maluf denuncia compra de votos
Brasil 05.04.16 17:03
Depois de Paulinho da Força, agora é Paulo Maluf a acusar o governo de oferecer cargos para comprar o apoio de deputados contra o impeachment.

"O governo está se metendo num processo de compra e venda que é detestável. Querem construir maioria no Legislativo dividindo o Executivo. Não é assim", disse à Folha.
O PT conseguiu ser denunciado por Maluf. Significa que todos os limites foram ultrapassados.

O Antagonista

02 abril, 2016

A Esquerda encurralada é capaz de tudo?

A Esquerda encurralada é capaz de tudo?

Os eventos que levaram Vargas ao suicídio são de amplo conhecimento, crise econômica, crise institucional, corrupção, etc... As conseqüências no amanhecer daquele dia são menos conhecidos: destruição de Jornais opositores, destruição da sede de Partidos opositores de direita( liberais e conservadores de fato e de direito ) e a sua impotência em se estabelecer até hoje, invasão de embaixadas e empresas norte-americanas, e a pior coisa causada: a instalação de uma esquerda intervencionista estatal que esteve presente inclusive no período da ditadura militar com as mesmas características dos socialistas.

Com a nova ratoeira que a esquerda se prendeu sozinha por sua incompetência e mesmos métodos usados em todos os lugares que opera essa ideologia nefasta, repetindo Vargas e outros ditadorzinhos. Lula e seus aspones com promessas de ódio, com discursos abertos de virulência com a oposição, com os desejos de embate e derramamento de sangue, com as acusações de um falso golpe, com as esperanças de um silêncio da República de Curitiba morrendo, falando em morte com a exumação do caso das mortes de Celso Daniel e do Toninho do PT voltando à tona, levando-se em conta que o Marxismo Cultural se baseia em uma única coisa: A emoção do ódio irracional de grupos atiçado contra o seu oposto, faço uma pergunta:

A Dilma pode sofrer um atentado planejado de dentro de suas linhas vermelhas para salvar o PT, criando um mártir para ser usado o sentimento do povo brasileiro contra ele mesmo, voltando ao estado de vítimas os gerentes da corrupção?


A Esquerda encurralada é capaz de tudo

01 abril, 2016

No comunismo 365 dias são 1º de abril...

A antiga tradição de trolhar e fazer piadas sobre o primeiro dia de abril foi vítima da repressão na China.
1º de abril No joke. April Fools’ Day has been banned in China. www.washingtonpost.com

Como a democracia ea liberdade de expressão, que é um conceito ocidental que simplesmente não é bem-vindo por lá.

"O Dia da Mentira" não é consistente com a nossa tradição cultural, ou valores socialistas centrais", segundo a agência de notícias estatal Xinhua anunciou em mídia social na sexta-feira.

"A nossa esperança é que ninguém acredite em mentiras, crie rumores ou espalhe boatos."

Como parte de um esforço de longa duração para ganhar o controle da narrativa em mídias sociais e dissuadir a dissidência, o Partido Comunista da China lançou uma campanha de três anos para criminalizar a propagação de rumores. O post de Xinhua sugere uma brincadeira com o Dia da mentira com os que zombaram ou minar o partido poderia ter conseqüências potencialmente graves. Mas alguns usuários de mídias sociais não podiam deixar de ver o lado engraçado.
1º de abril

"Todo dia é dia da mentira", um usuário postou.

"Esta é a piada de Xinhua, você não vê?" Escreveu outro.

Outros perguntaram se controlada pelo partido, se a China Central Television tinha recebido o memorando.

"Cuidado com as notícias CCTV, tem dia da mentira da China", postou um usuário.

"No Ocidente, é só por um dia, mas uma certa (TV) Estação está enganando 365 dias sem parar", outro escreveu.

Esse aparelho da propaganda da desinformação na China tem um problema evidente com a sátira. Em 2012, o Diário do Povo caiu em um relatório satírico um relatório satírico da Onion que elegeu o líder norte-coreano Kim Jong Un o homem mais sexy vivo. O jornal do Partido Comunista criou uma publicação de 55 páginas em homenagem a Kim, citando a Onion como comemorando sua aparência devastadoramente bonita, rosto redondo, charme pueril - não percebendo que era uma sátira.
1º de abril

Li Zhurun, ex-professor universitário e jornalista, 16 anos depois ele percebeu que tinha sido enganado por uma piada do "Dia da Mentira". Em 1981, ele leu um relatório que cadetes de West Point estavam sendo ensinados sobre o lendário soldado do Partido Comunista, Lei Feng. Ele colocou a história em um relatório, e foi amplamente divulgado e acreditado na China. Até 1997 quando ele percebeu que a história original tinha sido publicado em 1º de abril.
1º de abril

Na sexta-feira, um usuário de mídia social teve uma sugestão irônica para as autoridades do partido. "Hoje é dia da mentira no Ocidente quando você pode mentir publicamente e não ser punido. Por que não podemos fazer o oposto e tornar este o dia "de dizer a verdade"? ", Escreveu o usuário.

"Esperamos que hoje possamos falar a verdade, expressar nossos verdadeiros sentimentos, mostrar as nossas cores verdadeiras, espalhar a verdade sem ser restringidos ou punidos, sem ficar na lista negra como incitar o crime."


22 março, 2016

Verde, a nova cor do Comunismo

A Corte Suprema de Justiça americana suspendeu uma iniciativa do presidente Obama denominada Plano Americano por uma Energia Limpa ( America’s Clean Power Plan ).
Conferência de Paris 2015


O presidente tinha apresentado o Plano na Conferência de Paris em dezembro de 2015, informou o jornal de Paris » “Le Monde” «.

O Plano, como outras propostas utópicas trombeteadas nessa reunião planetária, propunha reduzir em 32% até 2030 as emissões de gases com efeito estufa em relação às emissões de 2005.



Iniciativas como essa já eram apontadas como irreais e inviáveis, mas garantiam boa publicidade na mídia aos políticos que as promovessem.

E Barack Obama correu atrás dos aplausos, ignorando a ciência e o bom senso.

Voltando aos EUA, o presidente deparou-se com a revolta de 27 Estados que sofreriam graves danos na sua atividade econômica, entre os quais Kentucky, Virginia ocidental e Wyoming.center> Conferência de Paris 2015

O chefe da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, denunciou “a guerra de Obama” contra o carvão de que dependem esses estados.

3.344 centrais elétricas que funcionam com energias fósseis teriam sido atingidas de vez, observou o jornal
» “Le Monde” «.

Obama tentou driblar o Congresso, onde perdeu a maioria, e apelou ao Judiciário para passar por cima.

A União Europeia havia ovacionado a proposta de Obama como “um passo adiante positivo nos esforços sinceros dos EUA para reduzir suas emissões”.

Na França, o presidente socialista François Hollande também se imiscuiu de alegre nos assuntos americanos, louvando “a coragem do presidente Obama”, que teria feito “uma contribuição de grande vulto para o sucesso da Conferência de Paris sobre a mudança climática”.

Essa ambiciosa Conferência ficou bem abaixo do objetivo sonhado, mas os fundamentalistas verdes não perdem a esperança de quebrar o progresso da civilização com projetos como o que Obama apresentou.

O adiamento determinado pela Corte Suprema lascou o crédito de Obama.
Mas este não pareceu se importar, pois não pode se recandidatar e a propaganda que ele pretendia em Paris já foi conseguida.

De resto, que o meio ambiente, a ciência, o Congresso e até a própria Corte vão às favas, pois pouco interessam e pouco lugar terão no reino da utopia da confraria rubro-verde radical.


Conferência de Paris 2015


Verde, a nova cor do Comunismo

26 janeiro, 2016

"Cogito, logo somo"

O dito latino "Cogito, ergo sum", o popular "Pendo, logo existo", fica melhor em "Cogito, logo somo", o cuidado em retransmitir uma informação por mais ínfima que a seja pode ser ligada ao princípio pop do "Efeito Borboleta", um bater de asas de uma borboleta pode causar um furacão no outro extremo do mundo, milhões de atitudes e escolhas individuais podem ser causadas por um gesto ingênuo ou por uma errônea informação de origem obscura, podendo gerar mudanças de comportamento globais sendo usado para fins que as "vítimas" nem deliberam, por isso, o cuidado nos nossos dias em repassar uma informação deve ser multiplicado, para somarmos aos nossos co-cidadãos e não apenas sermos agentes usados para difundir verdadeiras mentiras de des-utilidade pública, cogite e some e não repasse dividindo.
Veja o artigo da RFE e a sorte que tiveram nas conseqüências advindas: « Unraveling the Šmid death story »

Timothy Garton Ash, revendo vários livros sobre 1989 para o New York Review of Books, escreveu que:

"um relatório errôneo na Radio Free Europe (RFE) em que um aluno chamado Martin Šmid teria sido morto, na repressão dos eventos de 17 novembro de 1989 na manifestação estudantil em Praga ajudou a engrossar as multidões que protestavam nos primeiros dias da Revolução de Veludo na Tchecoslováquia."


Michael Nelson, veterano correspondente da Reuters e executivo, recontando a fundo a história em seu livro, War of the Black Heavens (Syracuse University Press, 1997, pp. 184-186), concluiu que o relatório sobre a RFE e a VOA:

"começou uma seqüência de eventos que posteriormente derrubou o governo comunista."

O que aconteceu?

A RFE relatou o seguinte em 17 de novembro:

"Um comício autorizado em Praga, em que participaram cerca de 50.000 pessoas, para comemorar a morte do estudante Tcheco Jan Opletal há 50 anos nas mãos dos nazistas se transformou em um movimento pró democracia e uma demonstração anti-governo. Tropas de choque da polícia responderam sem precedentes com violência. De acordo com fontes oficiais da Tchecoslováquia, 17 pessoas ficaram feridas e 143 manifestantes, incluindo o líder da Primavera de Praga, Alexander Dubcek, foram presos."

No dia seguinte, 18 de novembro:

"Atores e estudantes convocaram um boicote de uma semana de todas as atividades de teatro e aulas na universidade além de pediram uma greve geral de duas horas em 27 de novembro para protestar contra a brutalidade policial em Praga ontem, 17 de novembro. Os diários oficiais da Tchecoslováquia, Lidová Demokracie e Mlada Fronta, criticaram a polícia de choque e pára-quedistas que quebraram a manifestação de 17 de novembro. Cerca de 2.000 pessoas foram forçadas a se dispersar pela polícia em Praga depois de reunirem-se e colocarem flores no local onde os manifestantes foram espancados durante a passeata de 17 de novembro."

Cobrindo estes desenvolvimentos dramáticos com base nas informações que recebeu de contas de mídia ocidentais e as suas próprias fontes em Praga, o Serviço na Tchecoslováquia da RFE, liderado por Pavel Pechacek, recebeu um relatório que Šmid tinha sido morto durante o 17 de novembro pela distribuição da Carta 77 do ativista Peter Uhl que publicou clandestinamente nas "agências de imprensa", tinha um bom histórico de confiabilidade. Uhl passou o relatório a outros meios de comunicação ocidentais, incluindo a Reuters de Praga para o correspondente Michael Zantovsky. A Reuters publicou a história, como fizeram a VOA.

A RFE / RL tinha um firme requisito de ter duas fonte para notícias como esta, e se detinha a história enquanto procuravam confirmações. Estando o momento tendo em conta o 50º aniversário do funeral de Opletal. Pechacek e seus colegas, comunicando-se com Praga em busca de localizar uma segunda fonte. Em 18 de novembro, a RFE transmiti a história da morte de Šmid. Como se viu, Šmid estava de fato vivo e logo voltou para casa. Sua carteira de identidade tinha sido apreendida pela polícia um ou dois dias antes, quando ele participou de uma manifestação. Várias conclusões seguem:

• RFE / RL praticará o jornalismo profissional. Na época foi feito o melhor para obter o direito da história, em vez de ser a primeira, no entanto, inadvertidamente, difundiu uma reportagem falsa. Como a emissora dominante na Tchecoslováquia, no momento, é compreensível que os erros de comunicação serem atribuídos a RFE, quando outras emissoras também cometeram erros.

• A gênese da "história da morte de Šmid" permanece obscura até hoje. A comissão criada pelo então presidente Havel foi incapaz de encontrar provas conclusivas de onde exatamente a história veio, fixando a culpa final sobre "indivíduos desequilibrados". Na verdade, o relatório poderia ter atribuído à falta de comunicação na confusão da violência policial.

• Foi somente através de RFE / RL, VOA, e outros meios de comunicação ocidentais que Tchecos ouviram a história. Muitos participantes e observadores concordam que a comunicação contribuiu para galvanizar uma população já despertada pela inundação de alemães orientais para a embaixada da Alemanha Ocidental, as eleições polacas, o rompimento da Cortina de Ferro, a queda do Muro de Berlim e pela violência policial, de Novembro de 17. O relatório também é amplamente creditado no que conduz às grandes manifestações em 22 de novembro que finalmente resultaram na Revolução de Veludo.

Centenas de estudantes da Tchecoslováquia ajoelharam-se enfrentando a polícia em 19 de novembro de 1989 no centro de Praga durante um protesto pedindo mais democracia e exigindo o fim do regime comunista.

Mas havia um contexto.

Transmissões da RFE na Tchecoslováquia cobria de forma abrangente a crescente efervescência e as ondas de manifestações naquele país, antes e após 17 de novembro; Pavel Pechacek (graças a inadvertência em conceder-lhe um visto por um aparelho evidentemente desintegrado da polícia secreta) foi capaz de fornecer, na medida do possível, relatórios da Praça Wenceslas durante os primeiros dias de manifestações maciças, quando a televisão e rádio da Tchecoslováquia se omitiam.

A. Ross Johnson Ex-Diretor, Radio Free Europe
Com contribuições de Robert Gillette, Pavel Pechacek, e Richard Cummings

19 janeiro, 2016

O Carro-chefe da dezinformatsiya [ desinformação ] da Rússia



O Carro-chefe da dezinformatsiya [ desinformação ] da Rússia é a RT (anteriormente comercializada como Russia Today), imensamente popular, a rede de notícias a cabo pode ser assistida em aparelhos de TV por todo o mundo. A RT transmite em cerca de 22 satélites para mais de 230 operadores; são cerca de 644 milhões de pessoas em mais de 100 países que têm acesso a ela.

A RT é o segundo canal de notícias estrangeiro mais assistido na América após a BBC, ostentando 85 milhões de espectadores nos EUA

Ela transmite em quatro canais: em árabe, Inglês, Alemão e Espanhol, com presenças físicas em Washington, Nova York, Londres, Berlim, Gaza , Cairo, e Bagdá. Ele está disponível em 2,7 milhões de quartos de hotéis no mundo todo.

O presidente russo, Vladimir Putin, afirmou inequivocamente que a RT foi criada para "tentar quebrar o monopólio anglo-saxão na informação global." Em 2015, o Kremlin aumentou o orçamento da RT em US$ 300 milhões ou 40%, expandiu o seu alcance com outros estabelecimentos do funcionamento do estado para complementar a RT - tais como o Rossia Segodnya no Tajiquistão e Belgrado. O Kremlin vê a RT como talvez a sua ferramenta mais útil em uma guerra de relações públicas e diplomacia pública com o Ocidente. Apesar de sua popularidade, a RT é vista como um porta-voz do Kremlin por outros estabelecimentos mais respeitáveis; o jornal alemão Der Spiegel no ano passado criticou a "mistura caótica de teorias de conspiração e propaganda bruta" da RT enquanto o New York Times caracterizou a cobertura do canal como "uma mistura de perspectivas legítimas, meias-verdades e propaganda sem rodeios."

Ver:

Der Spiegel « “Russia Today: Putin's Weapon in the War of Images” »

New York Times « “For Russian TV Channels, Influence and Criticism” »



Margarita Simonyan: My first question is a bit immodest – about our channel. What are your impressions of it?
Vladimir Putin: I have good impressions.
When we designed this project back in 2005 we intended introducing another strong player on the world’s scene, a player that wouldn’t just provide an unbiased coverage of the events in Russia but also try, let me stress, I mean – try to break the Anglo-Saxon monopoly on the global information streams.
And it seems to me that you’re succeeding in this job. I’d like to emphasize something of the key importance. We never expected this to be a news agency or a channel which would defend the position of the Russian political line. We wanted to bring an absolutely independent news channel to the news arena. Certainly the channel is funded by the government, so it cannot help but reflect the Russian government’s official position on the events in our country and in the rest of the world one way or another. But I’d like to underline again that we never intended this channel, RT, as any kind of apologetics for the Russian political line, whether domestic or foreign.


RT « “Putin talks NSA, Syria, Iran, drones in RT interview” »

Mas e o compromisso da Cultura Ocidental com a liberdade de imprensa se confronta na luta contra a campanha de desinformação da Rússia?

Agências de notícias ocidentais pretendem abranger todos os lados de uma história, para ser o mais objetivo possível e contar com todas os lados. Isso tem ajudado a fontes de notícias como a RT ser credível como uma fonte de informação ao lado das mais respeitáveis. Os espectadores ocidentais precisam serem capazes de diferenciar entre a propaganda estatal de um país estrangeiro hostil eo livre exercício de expressão; apoio a estabelecimentos como a Radio Free Europe, empenhada em apoiar os valores democráticos em todo o mundo, pode ajudar a compensar os danos causados ​​pela desinformação russo.
Ver: Radio Free Europe « “Radio Free Europe” »

A Rússia também utiliza diferentes abordagens em lugares diferentes. Nos países que já abrigam sentimentos anti-americanos, "a Rússia está deliberadamente espalhando a sua propaganda venenosa para os países vizinhos através dos meios de comunicação social russos, briefings e conferências", desacreditar a própria sociedade ocidental em si e culpando o suposto "imperialismo americano". A Rússia também usa essa propaganda para manter coesos "de facto a coalizão anti-americana da Rússia com países como Irã e Venezuela."

Ver: Heritage « “‘Heritage” »

Em países mais pobres, menos desenvolvidas do que a Rússia, é apresentado como um salvador, dispostos a investir em uma economia em dificuldades, como o Presidente Vladimir Putin disse em uma entrevista sobre a América Latina - "vamos ... fornecer aos latino-americanos uma assistência prática na luta contra novos desafios ... e vamos ampliar a cooperação durante os esforços de ajuda." O modelo de dezinformatsiya da Rússia oferece um exemplo para outros regimes autoritários que procuram influenciar as percepções ocidentais.

Ver: RT « “Cooperation with Latin America is key to Russia’s foreign policy’ – Putin” »




Brazil
Question:How do you assess the status and prospects of the strategic partnership between Russia and Brazil? What key issues and specific proposals are you planning to discuss in Brasilia?

Vladimir Putin: Our bilateral cooperation is of strategic importance, as Brazil is a responsible member of the international community whose political influence is steadily increasing; it is also the largest country in Latin America and one of the leading economies in the world.It is enough to mention its active participation in BRICS, the G20 and a number of Latin American regional organisations (CELAC, MERCOSUR, UNASUR). We support Brazil as a deserving and strong candidate for a permanent seat on the UN Security Council. I am sure that this powerful and fast-developing country is destined to play an important role in the emerging polycentric world order. I want to emphasise that Brazil is one of Russia's key partners in Latin America. We have long-standing relations of friendship, mutual respect and trust. We are actively developing political dialogue, defence, scientific, technological and humanitarian cooperation, as well as economic and investment ties. Over the last ten years, bilateral trade has grown almost three-fold and reached $5.5 billion in 2013. Our companies maintain close contacts through the Brazil-Russia Business Council. The citizens of our countries no longer need visas to travel. Dozens of Russia's best universities that joined Brazilian educational programme Science without Borders are ready to welcome students from Brazil. Cultural exchanges have become a regular practice.
During the visit, we want to discuss areas for further developing cooperation and to outline new joint projects in energy, investment, innovation, agriculture, science and technology. We plan to sign a large package of documents relating to a variety of industries, including between specialised agencies, public and private companies, and research and educational institutions.

Question:The current level of economic and trade relations between Russia and Brazil is far below the potential that has been proclaimed by the countries' leaders. What steps do you consider necessary to accelerate the realisation of this potential? What are the obstacles that slow us down and prevent us from taking bilateral trade to a completely new level?

Vladimir Putin: Indeed, despite the good results achieved, there is still an untapped potential in trade and economic cooperation with Brazil. Moreover, there was a decrease in bilateral trade (3.3% in 2013), caused by global economic instability. In order to address the situation we need to diversify our trade ties by increasing the share of high-tech products and engineering goods, as well as by developing cooperation in aviation, energy and agriculture. Russian companies are interested in the Brazilian market. Our countries' businesses have launched a number of successful investment projects in energy, engineering and pharmaceutical industries. For example, Russia’s Rosneft and the Brazilian HRT oil and gas company are jointly exploring and producing hydrocarbons in the Solimões river basin. In the state of Santa Catarina, the Power Machines corporation is setting up production of hydro turbines of up to 100 MW for their subsequent delivery to the markets of Brazil and other MERCOSUR countries. BIOCAD is developing a research, education and training centre in Brazil, designed to produce modern innovative medicines for the treatment of cancer. I am sure that such projects will help bring our bilateral trade and economic cooperation to a more mature level, which meets the current and future capabilities of our developing countries.

Question:Brazil will pass the baton of hosting a world football championship to Russia. Are you following the FIFA World Cup? Which part of Brazil's experience in preparing and hosting the event has attracted your attention and can be taken on board while organising the 2018 World Cup?

Vladimir Putin: I try to follow the World Cup as far as my work schedule allows. The Latin American countries’ teams have put on a display of football that has real flare and talent. Unfortunately, our team did not leave the group, but, in my opinion, they tried their best. At the invitation of Brazil and FIFA Presidents, I am going to visit the final match of the Championship to attend the ceremony of passing the baton from Brazil to Russia. In 2018, Russia will host this most popular global sporting event for the first time in its history. In February-March, we successfully hosted the Winter Olympic and Paralympic Games in Sochi and know exactly what a challenge it is to organise such a huge event. We are analysing Brazil’s experience very carefully. Your country is yet to host the Olympic Games in 2016. Representatives of several ministries and organisations, including the Ministry of Sports and the Russia-2018 Organising Committee, are in constant contact with Brazilian colleagues. They have already visited Brazil and I am sure they will go there again more than once. It is worth noting that Russia plans to take the FIFA World Cup a step further in some areas. For example, we passed a federal law establishing a special visa regime for foreigners who help organise the 2018 Championship, and enabling not only the official participants, such as the athletes, referees, coaches and others, but also the fans to visit Russia without visas right before and during the competition. The history of football championships has never seen anything like this before. I am sure that the World Cup in Brazil will be a bright page in the history of football. I wish the Brazilian organisers every success in completing it. As for us, in 2018, we will do everything possible to give the world an unforgettable football celebration and show genuine Russian hospitality.

Question:How much attention will be paid during the talks in Latin America to the issues of the modern world order, which enables some players on the international arena to unilaterally claim significantly more extensive rights, including to spy even on those leaders that they call partners and to hack their phones?

Vladimir Putin: The 21st century world is globalised and interdependent. Therefore, no state or group of countries can unilaterally tackle major international problems and any attempts to build a separate “oasis of stability and security” are doomed to failure. In order to meet numerous challenges and threats we have to stop trying to impose development models on other countries. This approach has repeatedly proven its ineffectiveness. It does not just fail to facilitate conflict resolution, but leads to instability and chaos in international affairs. Today, it is especially important to consolidate the international community’s efforts to ensure equal and indivisible security, as well as to resolve disputes trough the application of international law and with the central coordinating role of the UN. As for the facts of cyber espionage that you mentioned, it not only amounts to overt hypocrisy in relationships between allies and partners, but also a direct violation of the state's sovereignty, an infringement on human rights and an invasion of privacy. We are looking forward to jointly developing an international information security system.



Pior ainda, ele pode moldar a maneira como pensamos sobre nós mesmos, mudando sutilmente valores ocidentais e a política. Temos de estar em guarda contra esta "dezinformatsiya" pós-soviética, chamando a atenção para os piores abusos da verdade e combater a mídia russa apoiando fontes mais confiáveis ​​e verdadeiras. A Propaganda da Rússia pode parecer uma relíquia inofensiva da Guerra Fria, mas na verdade é uma arma da alta tecnologia que está sendo usada com grandes efeitos contra o Ocidente.


18 janeiro, 2016

O Demônio Vermelho da dezinformatsiya

 

Ouvimos e lemos reportagens sobre como os Estados Unidos criou o vírus Ebola, os ataques de 9/11 em New York dirigidos pela CIA, a campanha liberal para destruir a Rússia e a Venezuela pela guerra da queda do Petróleo, a propaganda chinesa sobre a posse do Tibet, a oposição brasileira sendo financiada pelo capital internacional, etc, etc, etc

Estas alegações estranhas e ultrajantes não vem dos cantos escuros de salas de bate-papo na Internet, mas a partir de um grande império global de notícias made in Kremlin e dos filhotes órfãos do comunismo.

O Demônio Vermelho da Mentira está atualmente travando uma guerra contra o Ocidente, uma guerra de informação, temos o nosso caso caseiro com as mídias de propaganda financiadas com recursos de publicidade de todas as esferas de governo e estatais.

Usando uma variedade de táticas e pontos de penetração, o Demônio Vermelho da Mentira espalha desinformação e propaganda, a fim de semear a confusão e mal-entendido no Ocidente e no resto do mundo, voltando ao nosso quintal: A decantada Revolução Cubana pela esquerda nunca passou de um ilha prisão, uma gulag tropical, enquanto se espalhava láureas sobre o cuidado do povo que na verdade vive, não, sobrevive com mínimo em uma prisão fora do tempo do desenvolvimento tecnológico.

A Campanha de propaganda atual do Demônio Vermelho da Mentira e seus órfãos tem as suas raízes na prática soviética de desinformação, que manipula a mídia, a fim de "difamar um adversário e, finalmente, fazer com que o adversário lhe dê. . . decisões benéficas aos interesses soviéticos." Agentes da « [ 1 ] » KGB costumavam distribuir documentos e fotografias forjadas, criar e espalhar boatos enganosos a fim de perturbar as decisões dos países ocidentais, exacerbam os conflitos entre nações e obscurecer as reais intenções da União Soviética.

Na década de 1960 a KGB realizou uma campanha de desinformação que se tornou amplamente popular, alegando que a CIA esteve envolvida no assassinato de JFK, e na década de 1980, a « [ 2 ] » KGB espalhou rumores sobre a forma como os Estados Unidos inventou AIDS/HIV como uma arma biológica. « [ 3 ] »

O fim da Guerra Fria não significa o fim da ameaça da dezinformatsiya. Na verdade, a informação agora se espalha mais rápido e atinge mais pessoas do que nunca. A proliferação de blogs on-line, a tecnologia de compartilhamento de vídeo e o ciclo de notícias de 24 horas foi bem-sucedido em trazer mais informações para mais pessoas, mas também aumenta o alcance de quem usa a notícia para distorcer e confundir. O que agentes da KGB era uma vez capaz de realizar com alguns jornais, agora o Demônio Vermelho da Mentira pode agir multiplicada dez vezes no YouTube e vários meios de comunicação on-line.

Além de maior velocidade na propagação da desinformação, a principal diferença entre a dezinformatsiya Soviética ea propaganda nova do Demônio Vermelho da Mentira é que durante a Guerra Fria a verdade importava. A União Soviética estava preocupada em provar quê o que eles estavam dizendo era verdade. Hoje em dia, não parece se importarem se as suas reivindicações são comprovadamente errôneas ou simplesmente ridículas; o objeto da dezinformatsiya pós-soviético não é converter, mas simplesmente ofuscar.

A Desinformação de hoje não tem o objetivo de convencer as pessoas de que os Comunistas estão dizendo a verdade, mas para entreter os telespectadores.

O Demônio Vermelho da Mentira tem aperfeiçoado a arte de misturar entretenimento com manipulação emocional. Sua propaganda é usado para entreter o público, para manter o espectador viciado, distraído, passivo e paranóico.
 

17 janeiro, 2016

Propaganda Versus Dissidente [ Cuba ]

O vídeo faz uma montagem entre a propaganda do regime cubano, a cargo de Leonardo Boff, e afirmações em contrário feitas Carlos Moore, escritor cubano radicado no Brasil, que padeceu sob o regime.